quarta-feira, 6 de julho de 2011

Betomenezes (Cartum + Conto)

Nesta seção especial CARTUM + CONTO, publicaremos um conto mais o cartum de um participante do Clube. Todos os cartuns foram feitos por Raonix.

* * *

Sou Roberto, em homenagem ao autor de Detalhes. Menezes é do meu avô. Me chamam de Beto, mas gosto de ser chamado de Betomenezes; ou Roberto Menezes (nunca Beto Menezes). Tenho dois livros publicados: Pirilampos cegos (2007) e O Gosto Amargo de Qualquer Coisa (2010). Sou formado em Física, sou poeira da poeira das estrelas, portanto; portanto de passagem, mas sem a passagem comprada, ainda. Faço parte do Clube do Conto e, vez ou outra, quando não me faço de surdo, escuto vozes.

***


LEGIÃO DE ALMAS VAZIAS

– Vão saindo de três em três! – gritou o pastor.

A mulher se estrebuchava no chão.

– Não me deixem – murmurava a mulher – não me deixe só de novo!

– Vão saindo de três, ordeno, Legião!

– Zé Pilinta quer sair, mas ela não deixa! – rangeu a mulher com voz demoníaca.

– Tranca rua, também. Ela me prende pelo pé!

– Também quero sair, mas ela me segura pelo pau – outra entidade anônima gemeu dentro dela querendo sair.

– Não vou deixar vocês saírem, não vou! Com vocês, minha alma tem banquete todo dia. Tem samba de roda, canjerê até amanhecer.

– Está amarrada mulher – o coitado do pastor não sabia o que fazer.

– Nos libertem! Nos libertem!!!

– Com vocês me sinto viva!!! – gritou a mulher – não deixo!

Os fiéis da Igreja Universal nunca tinha visto aquilo.

– Sangue de Cristo – um obreiro olhou pro céu.

Atônita, a maioria apenas calou. Uma mulher, que estava lá nas últimas filas, saiu correndo, pulando bancos e cadeiras, e gritando desesperada:

– Eu também quero eles dentro de mim, eu também sou filha de Deus!

Vendo isso, as outras mulheres, tomaram coragem e fizeram o mesmo.

Infeliz legião de demônios. Eram poucos para tanta alma vazia.

2 comentários:

Luis Fernando disse...

seu herege! rs

Nosso livro de cada dia disse...

Nossa essa eu não esperava!!!
Imaginem esse conto adaptado para o teatro... rsrsrs!
Seria muito engraçado essa inversão de valores religiosos (lembrando que para um conto vale tudo, hein rsrs)
Fuiii...