sábado, 15 de maio de 2010

Ata Mágica

Ata referente ao dia 8 de maio de 2010.

O primeiro a chegar foi o desenhador. Tentava se redimir dos atrasos passados. Esperou pelos outros chupando um picolé. Na mesa ao lado um dragão o observava com interesse.

A segunda a chegar foi a guerreira Joana, acompanhada da fiel escudeira Mariana. Juntaram-se ao desenhador. Os três dividiram uma cerveja enquanto discutiam sobre quadrinhos e as novidades tecnológicas. Nenhuma das duas parecia notar o dragão.

Beto, o Bárbaro, chegou ao mesmo tempo que a Fada Romarta, quase causando um colapso mágico. Ele jogou seu machado ao pé da mesa, enquanto ela se depositou sobre a cadeira, feito barro no fundo do rio.

Mais tarde, trazidos pelos bons ventos, chegaram a Comendadora Limeira, André o Mago, o Samurai Lau e a Vidente Regina, que conhece os segredos do I Ching. Um outro dragão sentou-se na mesa ao lado para acompanhar o primeiro. O desenhador perguntava-se se era efeito do álcool.

O taberneiro cuidou de servir os petiscos: pão com berinjela e filé de hydra. Enquanto comiam, os viajantes começaram a contar suas histórias sobre o orégano do crime organizado, sem o “ó”.

A Feiticeira Valéria mandou sua história pelo Bárbaro. Escondeu magicamente um “ó” nas entre-letras da palavra engulir, pegando a todos de surpresa. O Mago André foi atraiçoado por um “ó” fujão. E a Guerreira Joana atingiu uma artéria e fez jorrar “ós” sobre os presentes. Nesse ínterim, as outras mesas já estavam lotadas de dragões, de várias cores e tamanhos, e todos olhavam o desenhador com interesse.

Por último chegou Alfredo, o Mineiro, e Cartaxo, o Sátiro, acompanhado de Cláudia das Terras Longínquas. Em seus rastros chegaram três nobres visitantes, sedentos por histórias: Lorde Erasmo, Milady Iaponira e Milady Clarissa.

O Bárbaro Beto desferiu bravatas a respeito da ciência, o que gerou uma breve batalha religiosa.

A história da fada deu origem a outra discussão. O Bárbaro Beto e o Mineiro travaram uma batalha com a Guerreira Joana sobre o desenvolvimento do estilo literário. As espadas faiscaram e a batalha foi longa, mas Romarta jogou seu pó de pirlimpimpim e pôs fim no certame.

Alheio, o desenhador já podia ver os dragões afiando suas garras e gargarejando óleo quente, quando foi salvo pela presença luminosa da Barda Tamires. Tão logo ela sentou-se ao seu lado, as feras aladas desapareceram.

Por último foram escolhidos os temas do próximo encontro: compulsão e amor a 1.ª vista.

Raoni Xavier

Imagens retiradas de:
- http://images1.fanpop.com/images/image_uploads/Dragons-of-Massive-Geek-dungeons-and-dragons-1004082_771_762.jpg
- http://www.g4g.it/g4g/wp-content/uploads/2009/06/dungeons_and_dragons_free_online_01.jpg

3 comentários:

Félix Maranganha disse...

Cara, deu pra investir em RPG agora? Fala sobre o prefácio! No que deu?

Flaviano disse...

Descobri vocês a pouco, logo depois de ver uma entrevista ao vivo na tv. Fiquei curioso por visitar essa página e hoje, me veio o tempo necessário.
Grata descoberta! Pois do pouco que vi e li, sei que retornarei. Um abraço.

jefhcardoso disse...

Parabéns pela iniciativa, Clube do Conto de Paraíba.
Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com