quinta-feira, 10 de maio de 2012

Cordel Atado


Ata referente ao dia 5 de maio de 2012.
Aqui então nesta ata
Vou recontar um encontro
Desses que posso lembrar:
Um tal de Clube do Conto,
reunião lá num shopping
próximo ao café do ponto.

Pode-se contar história
Verdadeira ou inventada
Nem precisa de ingresso
Pra contar a sua toada
E chegar e se largar
Numa cadeira escanchada.

Também por aceitação
Se convida o povo alheio
Passarinho curioso,
Mosquinha de entremeio
Tudo muito escandido
Para contar sem receio.

Na contagem deste sábado
Veio o povo costumeiro
E uma tal de Janaina
De talento por inteiro
E demos o pontapé
Que tempo custa dinheiro.

Foi conto pra todo lado
E risadagem também:
Pequena grande Romarta
Deu-nos conto de vintém,
Beto até jogou trocado
Nos despoemas que tem.

Valéria quis desafio,
Norma ficou no padrão,
Laudelino ficou ao lado
Costurando a contação
Era este o tal do ritmo
Do nosso conto-baião.

Ainda Jéssica e Sergio
Na emenda o fio de prosa
Parecíamos um fieis
Gritando em polvorosa
As histórias de calibre
Do Clube que nos entrosa.

Assim eu fecho esta ata
De pavão misterioso
E assino e dou fé
Como quem bota um ovo
Online e redondinho;
Quem quiser conte de novo.

André Ricardo Aguiar

2 comentários:

Sérgio Janma disse...

Eita, André o poeta popular repentista! Muito bom, mesmo.

Sérgio Janma

garranchoserascunhos disse...

Muito bom, um ótimo texto. Parabéns pelo trabalho que está sendo realizado.

Victor Nascimento.