terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Ata do dia 14/02

Querido Clube do Conto:

Aqui vai uma ata em forma de carta por uma necessidade maior que o estilo que porventura a faça soar artificial. É mesmo ojeriza atual ao padrão asséptico das atas de reuniões, levando em conta alguns fatores que contradizem o referido clube e que elenco aqui sem pejo:

1) O Clube não é um clube. É a reunião semanal dos detentos da ficção que volta e meia ganham liberdade condicional da realidade e se realizam em torno de umas mesas, são fumantes sem tabaco e nicotina, são viciados que se vigiam e se picam mutuamente sem precisar de entorpecentes, estupefacientes.

2) No entanto, pelo viés filosófico, o universo negado ali é uma afirmativa às avessas e uma espécie de universo pode ser observado, desde que estabeleçam desde já definições mais precisas do que seja o universo, de como é composto e que leis os regem. Também não tem nada a ver com o Clube.

Levando em conta essas afirmações, existem fatos duvidosos e uma cadeia de eventos simultâneas: a praça da paz e a casa de Dôrinha eram a mesma coisa em determinado sábado, embora essa junção também produziu fissuras onde membros que não se posicionaram bem se perderam no caminho. Foram localizados no tempo, espaço e jarra de café os seguintes: Laudelino, Maria Valéria Rezende, Geraldo Maciel (Barreto), Ramon Limeira, Dôra Limeira, Ronaldo Monte, Roberto Menezes e sua esposa Eli, José Benedito, Maria Clarilene, André Ricardo Aguiar, Vivi, Raoni, Carlos Cartaxo e Alfredo Albuquerque. Evidentemente que não se pode contradizer o autor desta carta caso a memória me falhe, que o ambiente, vulgo Quintal Mágico, localizado no aprazível bairro dos Bancários, convida ao vagar lisérgico sem precisar estar em Woodstock. Há um enorme cacto no formato de...um enorme cacto. Há sombra. Café fresco. E há esta ata. O assunto variado do sábado indicou caminhos. As possibilidades de novos rumos, quiçá mais circulares. A nova direção do blog, uma atualização mais interativa e própria para contos. E a escolha de um contista por semana. Também foram lidos contos (grande novidade!) e sugerido temas, ganhando, por tabela e contextualização, o tema Era de Aquário. Esta carta não deixa de estar no clima. Melhor, esta ata. E que chegue o carnaval.

Abraços,

Anônimo.

* * *
Adendo 1:

Complementando a ritmada ata, lembro que no final foi abordado a questão do lançamento do livro: Histórias de sábado que deveria ser lançado no primeiro sábado de março na Estação Extremo Oriental (acho melhor esse nome).

Carlos Cartaxo

Adendo 2:

O Clube do Conto volta às aulas: ficou decidido que a próxima reunião do Clube será no dia 28 de fevereiro, em novo local: Escola Aruanda, localizada no bairro dos Bancários, próximo a praça da paz.

Laudelino

Um comentário:

Tiago disse...

que bom que vocês ainda mantem esse espaço!