segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Dando nó em ata!

Sábado, dia 15 de dezembro de 2007, fizemos ótima reunião. Valéria e eu lemos nossos contos sobre "aboio". Esse tema é lindo, e nos inspirou muito. Fiz uma releitura em prosa de "Vai, boiadeiro, que a noite já vem, leva o teu gado e vai pra junto do teu bem", que é cantado por Luiz Gonzaga. Eu não punha muita fé nesse texto. Só acreditei nele quando ouvi minha própria leitura, escutei minha própria entonação. Quem estava na reunião, me deu o prazer de um feed-back favorável. O texto de Valéria explorou a presença de palavras árabes na língua portuguesa. Foi bonita a sonoridade de certas palavras que Valéria usou no texto. Lindo texto.

Iniciada a reunião, umas pessoas esquisitas começaram a passar na porta da associação. Isso nos levou a trancar o cadeado do portão de entrada. Valéria disse que não tem mais medo de nada, mas eu e quem estava lá temos medo, sim.

Houve discussões em torno da presença árabe nos idiomas português e espanhol. Valéria enumerou uma porção de palavras que nos eram, até então, estranhas.

Falamos também sobre como é necessário que o artista seja verdadeiro naquilo que faz. Eu me lembrei de Luiz Gonzaga cantando "Boiadeiro". Quanta emoção, quanta verdade o véio botou na voz, nas modulações, no manejado da sanfona. Assim também devemos ser todos nós, no ato de escrever. É preciso que se ponha toda a verdade, quer dizer, é preciso que se acredite no que se está escrevendo. Somente a técnica não é suficiente, é preciso que o escritor se emocione e descarregue essa emoção no texto, com humildade. Assim, o leitor também acredita e se emociona.

Recado oara Andrézinho Dias: Não devemos ter excesso de auto crítica. Às vezes achamos que um texto não está legal, mas é preciso ter humildade para se expor, expor o texto, compartilhar. Acontece muito isso comigo. Às vezes chego ao clube levando textos sofríveis, a meu ver. Mas, muitas vezes quem me lê e me escuta é quem sabe e me diz se presta ou não.

Terminamos a reunião, a última do ano, sem propostas de tema. Em seguida, fomos para o anfiteatro da praça da Paz e assistimos a apresentação de três corais

Devemos retornar no começo de janeiro, no segundo sábado de janeiro.

Afinal, quais as pessoas que estavam na reunião? Quem adivinhar, ganha um livro de Mané Caixa Dágua como presente de Natal.

Boas festas de fim de ano a todos e todas.

Dôra

2 comentários:

André Dias disse...

Dona Dorinha! obrigado pelo cuidado, adoro aprender com vocês. mas olha, acho que os contistas de plantão tiraram férias até do blog, ninguém se habilita a ganhar o livro do Mané Caixa D'água...
abraço!

Hulk disse...

gostei muito desse texto e acho q os blogs estão contribuindo muito para essa manifestação sincera d opiniões...de uma forma crua e verdadeira